Carros Elétricos: Segurança vai além da Instalação dos Carregadores
Foto: Reprodução

A popularização dos carros elétricos trouxe uma série de dúvidas para os condomínios, é caro leitor, isso mesmo, para nós que administramos condomínios, esse novo produto verde (sem querer gerar controvérsias), trouxe algumas dores de cabeça também, especialmente no que diz respeito à infraestrutura necessária para acomodar esses veículos. A instalação de carregadores é um dos primeiros passos e ponto que exige atenção especial, e ai voltamos um passinho, começando pela avaliação da capacidade da rede elétrica existente. É preciso determinar se a estrutura atual suporta a demanda adicional sem risco de sobrecargas, o que pode exigir investimentos em modernização.

 

Segundo ponto que terá que ser levantado em seu condomínio, vaga com ponto de recarga comunitário (mas cada um paga o que usa), ou será possível fazer a instalação individual, e cada unidade se responsabiliza por sua despesa, respeitando padrões previamente definidos em uma assembleia e seguindo todas as recomendações técnicas necessárias. E nesse caso como as instalações já são individuais sendo ligadas diretamente no relógio de cada uma das unidades, a cobrança da taxa de energia já vai para o morador responsável. No primeiro caso tem que observar a disponibilidade de vagas em áreas comuns para a instalação dos equipamentos.

 

A falta de profissionais qualificados e o uso de materiais inadequados, em qualquer um dos casos, podem resultar em sobrecargas no sistema elétrico do prédio, curtos-circuitos e até mesmo incêndios, colocando em risco a segurança de todos os moradores. A contratação de empresas especializadas e certificadas para a elaboração de um projeto individualizado e a execução da instalação, portanto, é indispensável para garantir a segurança e a eficiência do sistema.

 

Mas os desafios não param por aí, a segurança vai além da instalação dos carregadores. A segurança contra incêndios também exige atenção redobrada quando se trata de carros elétricos. Apesar dos avanços tecnológicos e do aumento da segurança dos veículos elétricos a cada nova geração, as baterias de íons de lítio ainda exigem cuidados específicos. O Corpo de Bombeiros de São Paulo fez uma portaria para consulta pública para discutir novas regras que irão aperfeiçoar a prevenção e o combate a incêndio em caso de veículos elétricos, não sabemos quais regras vão vingar, mas podemos passar por algumas preocupações e apontamentos colocados em consulta pública.

 

A fumaça proveniente da queima dessas baterias, por exemplo, é altamente tóxica, demandando cuidado redobrado na contenção e dispersão. Outro ponto importante é a água utilizada para apagar o fodo e no rescaldo, que, por conter diversos contaminantes, precisa ser armazenada corretamente para posterior destinação adequada. Inclusive, o Corpo de Bombeiros de São Paulo alerta para a necessidade de uma reserva maior de água para o combate a incêndios por conta de carros elétricos.

 

É importante destacar que novas regras e normas para lidar com esses e outros riscos específicos desses veículos, como o uso de extintores de classe D e mantas isolantes, assim como a criação de boxes de carregamento isolados com muros, vagas maiores com distância de 5 metros entre os pontos de carregamento, instalação de Sprinklers, proibição de utilização de vagas presas e a colocação de sistemas de ventilação adequados, estão em discussão. São itens que devem ser bem debatidos, já que dificultariam muito a vida dos condomínios de modo geral, até mesmo inviabilizando a existência de veículos elétricos em alguns condomínios. A busca por informação e a conscientização dos moradores sobre os procedimentos de segurança, tanto em relação à recarga quanto a possíveis acidentes, são fundamentais, principalmente enquanto essas normas não são definidas.

 

Para tranquilizar os leitores, o OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, informou que um “estudo publicado pela Autoinsurance EZ, que coletou dados de dois órgãos americanos especializados em segurança de automóveis, o National Transportation Safety Board (NTSB) e o Bureau Of Transportantion Statistics (BTS), demonstrou que os carros totalmente elétricos têm 100 vezes menos probabilidade de pegar fogo do que os tradicionais. Dentro de 1,4 milhão de incêndios registrados nos EUA em 2020, 15% foram em carros, mas apenas 0,02% de elétricos.” Apesar de ser menos provável, as considerações devem ser levadas em conta pois quando pegam fogo são mais difíceis de serem contidos.

 

Fica então a reflexão de que os desafios dos carros elétricos nos condomínios vão muito além da instalação de carregadores, exigindo planejamento, investimento e a colaboração de todos.

Opiniões expressas por nossos colunistas não refletem necessariamente a posição da Rádio Paiquerê FM 98.9, reiteramos nosso compromisso com a imparcialidade e diversidade de pontos de vista.