CFM pede que Anvisa libere uso de fenol por médicos; farmacêuticos divergem
Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Conselho Federal de Medicina (CFM) encaminhou ofício à Anvisa solicitando que “reveja urgentemente” os termos da resolução que proíbe a importação, fabricação, manipulação, comercialização, propaganda e o uso de produtos à base de fenol em procedimentos de saúde em geral ou estéticos.

Em nota, o CFM pede que a agência reguladora volte a permitir que médicos possam “atender a população em suas necessidades, utilizando o fenol em tratamentos, inclusive estéticos, segundo critérios de segurança e eficácia”. A entidade avalia a restrição imposta pela Anvisa como “excessiva”.

Farmacêuticos – Em nota, o Conselho Federal de Farmácia informou enxergar de maneira positiva a regulação da comercialização e do uso do fenol e de quaisquer outras substâncias semelhantes utilizadas nos procedimentos estéticos.