Comissão da Câmara de Londrina quer saber onde está o dinheiro que deveria ter ido para Marco Zero
Foto: CML

Na manhã desta quarta-feira (15), a Comissão Especial do Marco Zero, criada em agosto de 2023 pela Câmara Municipal de Londrina, reuniu-se com a Procuradoria, Controladoria e servidores da Casa para examinar uma série de documentos referentes à área de mata nativa localizada na zona leste da cidade. Os documentos foram fornecidos pela Prefeitura e pelo Ministério Público do Paraná em resposta a pedidos feitos pela comissão nos últimos meses.

Entre outras informações importantes, a documentação mostra que, em janeiro deste ano, o MP-PR abriu Inquérito Civil Público para investigar possível desvio de finalidade na utilização de valores destinados à revitalização da Mata do Marco Zero.

“Diante das movimentações que nós fizemos, buscando todas as informações, o que nos deixou bastante preocupados, e é algo em que nós teremos de nos aprofundar, é que neste ano foi aberto pela 4ª Promotoria da Comarca de Londrina um inquérito para investigar a destinação de R$ 250 mil para que fossem feitas algumas benfeitorias no Marco Zero. Não foi feito nada e nós queremos saber onde estão esses R$ 250 mil”, afirmou o vereador Roberto Fú, presidente da comissão especial, composta também pelos vereadores Beto Cambará e Mestre Madureira.

Após análise das documentações, novos Pedidos de Informação serão feitos pela comissão especial. Os vereadores querem saber se a área do Marco Zero foi municipalizada ou se há processo de municipalização e por que não foram feitas as melhorias previstas na área, de importância histórica, cultural e ambiental. As informações são da CML.