Curso de Direito da UEL recebe selo de qualidade da OAB
Do Paraná, além da UEL, figuram na lista de instituições aprovadas pelo CFOAB as universidades estaduais de Maringá, Ponta Grossa, Norte do Paraná, Oeste do Paraná e a Universidade Federal do Paraná. Foto: Reprodução/Pixabay

O curso de Direito da Universidade Estadual de Londrina (UEL) obteve destaque, durante uma cerimônia do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB), na última quarta-feira, dia 19. O curso foi um poucos de todo o Brasil a receber o selo “OAB Recomenda”, durante a 8ª Edição do Prêmio OAB Recomenda. A chancela da Ordem dos Advogados do Brasil foi criada para assegurar a qualidade da formação dos profissionais da área. O levantamento levou em conta, entre outros critérios, a taxa de aprovação nos exames da OAB.

Do Paraná, além da UEL, figuram na lista de instituições aprovadas pelo CFOAB as universidades estaduais de Maringá (UEM), Ponta Grossa (UEPG), Norte do Paraná (UENP), Oeste do Paraná (Unioeste – campi Francisco Beltrão e Marechal Cândido Rondon) e a Universidade Federal do Paraná (UFPR). Dos quase 2 mil cursos autorizados pelo Ministério da Educação (MEC) em todo o País, apenas 198 receberam o selo da OAB, o que corresponde a apenas 10% de todo o montante de cursos abertos no Brasil. Nesta edição, mais da metade dos 198 cursos que obtiveram o selo são de instituições públicas.

A professora Thais Aranda Barrozo acompanhou a cerimônia de premiação, representando a UEL. Segundo a docente do Departamento de Direito Privado e vice-coordenadora do Colegiado de Direito, a excelência do curso veio com as análises das notas do exame da Ordem e, também, do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). “Em ambos (os exames), obtivemos destaque com índices de aprovação que revelam nossa excelência em ensino, pesquisa e extensão”, avaliou a docente. Ainda segundo a professora, receber o selo OAB Recomenda é uma “honra” para a universidade, pois simboliza o reconhecimento do rigor técnico-científico da UEL na educação jurídica, vista como um “pilar para o desenvolvimento humano, social e da própria democracia brasileira”. Com informações da assessoria de imprensa do Conselho Federal da OAB.