Documentário sobre a umbanda será exibido nesta terça, no Festival de Etnias
Documentário sobre a umbanda será exibido nesta terça, no Festival de Etnias | Foto: Divulgação

O celebrado documentário “A Umbanda na Terra do Café: entre Trajetórias e Histórias para a Construção da Tolerância” é um dos destaques da programação do primeiro dia do 3º Festival Cultural de Etnias/ Sesc Paraná, nesta terça-feira (20).

Com entrada gratuita, a exibição acontecerá às 19h, no auditório do Sesc Londrina Cadeião (Rua Sergipe, 52), área central da cidade. Além do documentário, o público poderá participar de uma conversa, a respeito da religião de matriz afro, com Mãe Josi de Yemanjá e com a produtora cultural Chris Vianna, coordenadora do projeto. O filme tem duração de 33 minutos.

Patrocinado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic), “A Umbanda na Terra do Café: entre Trajetórias e Histórias para a Construção da Tolerância” contemplou também um livro com o mesmo nome. A publicação, com 108 páginas, poderá ser adquirida por R$ 50.

Além de produtora cultural, Chris Vianna é atriz, escritora e diretora geral do Festival Literário de Londrina, o Londrix.  Ela é a coordenadora geral e editorial do projeto “A Umbanda na Terra do Café: entre Trajetórias e Histórias para a Construção da Tolerância”, cujo lançamento oficial aconteceu no dia 23 de fevereiro. O projeto contou ainda com uma série de debates em escolas estaduais de ensino médio e outros espaços.

“Acreditamos ter resgatado os primórdios da cultura umbandista em Londrina. Nós nos dedicamos, consequentemente, a colaborar com a transformação do racismo estrutural e a intolerância religiosa que, infelizmente, ainda se manifesta em nossa sociedade”, frisou Vianna.

Desenvolvido nos dois últimos anos, o projeto “A Umbanda na Terra do Café: entre Trajetórias e Histórias para a Construção da Tolerância”, contou com a parceria do Laboratório de Estudos sobre Religiões e Religiosidades (LERR), do Centro de Letras e Ciências Humanas, da Universidade Estadual de Londrina (CLCH – UEL). A realização é da Atrito Arte Artistas e Produtores Associados (AARPA).

Realização do documentário e livro – As imagens do documentário “A Umbanda na Terra do Café: entre Trajetórias e Histórias para a Construção da Tolerância” foram captadas por Carlos Guilherme Loureiro Fortes (Fofaun) e Yashiro Manuel Imazu (responsável também pelos registros fotográficos). O filme foi editado por Artur Ianckievicz e Fran Camilo.

Já o livro é de autoria de Maurício Arruda Mendonça, nacionalmente reconhecido como escritor, dramaturgo, poeta e tradutor. A publicação contém 108 páginas, também preenchidas com material iconográfico produzido por Yashiro Manuel Imazu.

O projeto não abrange a totalidade de terreiros de Umbanda, em Londrina. Trata-se de um recorte contemplando 11 congás, cujas escolhas obedeceram a dois critérios. Inicialmente, houve um levantamento, através de redes sociais e in loco, para identificação de espaços religiosos autodeclarados praticantes do culto umbandista.

Num segundo momento, buscou-se a diversidade geográfica de casas umbandistas, localizadas nas cinco regiões (norte, sul, leste, oeste e área central) da cidade.

Foram entrevistados os seguintes dirigentes de terreiros umbandistas:

  • Pai Caetano de Oxóssi – Terreiro de Umbanda Luz, Amor e Paz (TULAP)
  • Pai Eduardo Kariya Nishitani – Quintal de Aruanda
  • Pai Eduardo Torrezan – Centro Espiritualista Caridade e Amor (CECA)
  • Pai Hélio de Oxóssi -Tenda de Umbanda do Pai Tomás e João Serrador
  • Pai Sena de Ogum e Mãe Josi de Yemanjá e – Terreiro Manoel de Umbanda
  • Pai Levi – Terreiro Oxóssi das Matas
  • Pai Luiz Fernando – Congá da Tia Maria Mineira
  • Mãe Lya D’Xangô e Pai Maycon D’Ogum -Tenda de Umbanda Cantinho dos Orixás
  • Pai Rafael – Cantinho do Pai João
  • Pai Roberto de Ogum – Terreiro Ilê Estrela Guia
  • Mãe Silvana de Oyá – Casinha da Vovó Maria do Rosário

Com N.Com.