Estudante de medicina que causou morte em rotatória de Londrina estava 136% acima da velocidade
Estudante de medicina que causou morte em rotatória de Londrina estava 136% acima da velocidade | © Londrina News

Uma perícia do Instituto de Criminalística concluiu que o carro dirigido pelo estudante de medicina Leonardo Guandalini, de 25 anos, trafegava a uma velocidade de 118 km/h na Avenida Maringá, em Londrina, antes de atingir a caminhonete de Mário Laurentino Lisboa, que morreu no local. As informações foram apuradas pelo G1.

O acidente foi na madrugada de 23 de maio de 2022, perto da rotatória da Avenida Maringá com a Avenida Castelo Branco. Depois da batida, a caminhonete capotou. A velocidade permitida na avenida é de 50 km/h.

Leonardo Guandalini responde por homicídio simples na modalidade dolosa (quando há intenção de matar) em liberdade. A Justiça ainda não definiu datas e o estudante pode ir a júri popular. Pena pode chega a 20 anos de prisão.