Homem recupera de vitiligo após divórcio
Crédito: Arquivo Pessoal

A incrível história de um industriário de 54 anos vem chamando a atenção da comunidade médica e do público em geral. Após 14 anos lidando com 98% do corpo afetado por vitiligo, ele experimentou uma recuperação notável na pigmentação da pele, recuperando 93% do pigmento um mês após seu divórcio.

De acordo com informações fornecidas ao g1, o industriário consultou um especialista em 2009, que destacou a relação entre saúde emocional e vitiligo. Ao refletir sobre sua vida, o homem identificou que o relacionamento com sua ex-esposa o deixava constantemente ansioso e nervoso, devido ao ciúme e desconfiança excessivos. Ele reconheceu traços de toxicidade no casamento, que contribuíam para o agravamento de sua condição.

O divórcio, ocorrido em 2022, foi um passo difícil, especialmente por causa dos filhos, mas acabou sendo decisivo para sua saúde. Um mês após a separação, quase todas as manchas desapareceram, permanecendo apenas em suas mãos e pés, áreas que ele atribui a gatilhos emocionais menores e gerenciáveis.

Atualmente, ele continua seu tratamento com duas medicações tópicas e acompanhamento psicológico, que se mostraram fundamentais para manter a melhoria em sua condição. O vitiligo é uma doença autoimune e não contagiosa, caracterizada pela perda de coloração da pele devido à ausência de melanócitos nas áreas afetadas, conforme esclarecido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

A história desse industriário ressalta a importância do bem-estar emocional na gestão de doenças psicossomáticas e autoimunes como o vitiligo, além de destacar o impacto positivo que mudanças significativas na vida pessoal podem ter na saúde física.