“Janeiro Roxo” reforça conscientização de londrinenses sobre a hanseníase
© Imagem ilustrativa - Foto: Alex Ribeiro/Agência Pará

O mês de janeiro é marcado mundialmente pela campanha anual de conscientização sobre os cuidados, prevenção e tratamento da hanseníase – doença infecciosa transmitida pela bactéria mycobacterium leprae, conhecida como bacilo de Hansen. Embora curável, a hanseníase aparece de maneira endêmica em diversas regiões do mundo, inclusive no Brasil. Sua transmissão ocorre pelo contato direto de pessoa pra pessoa.

No Paraná, foram registrados, no último ano, 415 novos casos. Para ampliar a taxa de detecção, o Estado oferta testes rápidos em todas as 22 Regionais de Saúde, incluindo a de Londrina, para pessoas que estiveram em contato próximo e prolongado com casos confirmados. Além disso, a Sesa também possui um plano estratégico de controle que prevê ações integradas entre Vigilância e Atenção à Saúde.

Entre os sintomas mais comuns estão:

– Manchas com perda ou alteração de sensibilidade para calor, dor ou tato;
– Formigamentos, agulhadas, câimbras ou dormência em membros inferiores ou superiores;
– Diminuição da força muscular, dificuldade para pegar ou segurar objetos, ou manter calçados abertos nos pés;
– Nervos engrossados e doloridos, feridas difíceis de curar, principalmente em pés e mãos;
– Áreas da pele muito ressecadas, que não suam, com queda de pelos (especialmente nas sobrancelhas), caroços pelo corpo;
– Coceira ou irritação nos olhos;
– Entupimento, sangramento ou ferida no nariz.