No Paraná, Defesa Civil aponta 40 municípios afetados pelas fortes chuvas no Estado
A Defesa Civil do Paraná divulgou um balanço neste domingo (08) que aponta 40 municípios afetados pelos eventos meteorológicos que atingem o estado desde o ultimo diz 03. A estimativa é que mais de 13 mil pessoas tenham sido afetadas pelo mau tempo | © Defesa Civil do Paraná

A Defesa Civil do Paraná divulgou um balanço na noite de domingo (08) que aponta 40 municípios afetados pelos eventos meteorológicos que atingem o Estado desde o último dia 03 de outubro. A estimativa é que mais de 13 mil pessoas tenham sido afetadas pelo mau tempo.

Alguns municípios tiveram danos extensivos, como é o caso de São Jorge d’Oeste, Paulo Frontin, Paula Freitas e Mangueirinha, atingidos no início da semana por vendavais que causaram destelhamento em diversas residências, afetaram comércio e lavouras.

Mais recentemente, Rio Negro, União da Vitória, Rebouças e Peabiru, por exemplo, tiveram problemas de alagamento e inundações por conta da chuva continuada e dos grandes acumulados no último dia. Cerca de 200 pessoas tiveram que deixar as suas residências em União da Vitória e 56 em Rio Negro. Ao todo, durante esses dias, mais de 740 pessoas deixaram suas residências por causa das chuvas e vendavais e 503 ainda permanecem fora de seus lares.

As equipes locais da Defesa Civil, juntamente com o Corpo de Bombeiros, realizaram as ações de atendimento à população, resgatando as pessoas em maior risco e levando para locais seguros. Os alertas da população, enviados desde a segunda-feira (03), assim como a mobilização junto às redes sociais e outros canais de comunicação, auxiliaram para que a informação sobre as chuvas pudesse ser repassada. Dicas sobre ações de proteção também complementam a informação sobre os riscos e ajudam para que menos danos e prejuízos sejam causados pelas tempestades.

Homem morre após confronto com a Rotam na zona norte de Londrina

SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA – Paula Freitas, Mangueirinha, Rio Negro e São Jorge do Oeste já decretaram situação de emergência. O decreto de São Jorge d’Oeste já está homologado pelo Estado e o de Mangueirinha está em processo de homologação. Paula Freitas e Rio Negro estão inserindo a documentação para pedir a homologação da situação de emergência. Além disso, Pinhão, Paulo Frontin e Cascavel estão dando prosseguimento nos documentos iniciais.

MONITORAMENTO – O acompanhamento das condições meteorológicas e ocorrências no estado é realizado pelo Centro Estadual de Gerenciamento de Riscos e Desastres da Defesa Civil (Cegerd). Ele recebe informações atualizadas do Simepar sobre eventos mais fortes que têm o potencial de gerar problemas, além de possuir ferramentas dentro do sistema de monitoramento que indicam quando parâmetros importantes de chuva foram alcançados. Esse trabalho integrado ajuda para que os municípios e população recebam informações e possam adotar as medidas de preparação.

Com informações da AEN.