A Polícia Civil do Paraná (PCPR) está nas ruas, desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira (07), para cumprir dez ordens judiciais contra indivíduos ligados à fraude na administração de grupo empresarial que se encontra em processo de recuperação judicial.

A ação conta com o apoio da Polícia Científica e da Polícia Civil de São Paulo e acontece simultaneamente em Curitiba e Araucária, no Paraná, e na capital paulista, Barueri e Araras, no Estado de São Paulo.

As investigações iniciadas no final de 2022 apuram que a gestão do grupo está sendo conduzida por indivíduos distintos daqueles que figuram como diretores perante o Juízo da Recuperação Judicial. “Tal conduta se amolda ao crime previsto no artigo 168 da Lei 11.101/05 que prevê pena de reclusão de 3 a 6 anos de reclusão, além de multa”, explica o delegado Leandro Farnese.

Foi verificado ainda que alguns peritos judiciais que participaram do processo da recuperação possuem vínculos societários com os investigados, os quais estariam exercendo efetivamente a administração do conglomerado empresarial em questão, em uma entidade distinta daquela submetida à recuperação judicial.

A ação pode configurar crime de falsa perícia. O juízo criminal proferiu decisão determinando o afastamento dos investigados de quaisquer atividades econômicas relacionadas ao grupo empresarial objeto da investigação.

A Polícia Civil do Paraná segue investigando o caso.