Quase 80 mil pessoas estão em abrigos no Rio Grande do Sul; Mortes chegam a 149
Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

O número de pessoas em abrigos no Rio Grande do Sul por causa das cheias das últimas semanas aumentou na terça-feira (14), após uma nova inundação no Rio Guaíba, em Porto Alegre. Na manhã de terça-feira (14), eram 76.884 alojados nos abrigos do estado, e, no final da tarde, o número passou para 79.494. Mais uma morte foi confirmada, passando para 149 no total e 124 pessoas continuam desaparecidas. O total de desalojados pelas enchentes chega a 538.245 pessoas.

Dos 497 municípios do estado, 446 foram afetados, o que corresponde a 89,7% do total. Na manhã de terça-feira (14), o nível do Guaíba, que banha a capital e região metropolitana, subiu e atingiu a marca de 5,21 metros – 2,21 metros a mais que a chamada cota de inundação, que é de 3 metros. O recorde histórico, 5,33 metros, foi registrado na semana passada.

Canoas – A cidade de Canoas (RS), na Região Metropolitana de Porto Alegre, reúne menos de 3,2% da população do Rio Grande do Sul. Segundo o Censo de 2022, são 347.657 canoenses frente a 10.882.965 gaúchos. Ainda assim, a cidade, a terceira mais populosa do estado, responde por quase 27% do total de pessoas desabrigadas pelas consequências das chuvas que atingem o estado. A informação está disponível em uma plataforma que o governo do Rio Grande do Sul disponibilizou na terça-feira (14), na internet. E dá uma noção do desafio que Canoas e outros municípios atingidos pelos efeitos adversos das recentes chuvas (enchentes, alagamentos, enxurradas, deslizamentos, desmoronamentos etc.) enfrentam. Com informações da Agência Brasil.