Em Londrina, Secretaria do Ambiente orienta público a não alimentar animais silvestres no Parque Arthur Thomas
Foto: Emerson Dias/N.Com

Com o intuito de sensibilizar a população para que não alimente os animais silvestres no entorno do Parque Municipal Arthur Thomas, na região sul de Londrina, a Secretaria Municipal do Ambiente (Sema) está realizando uma divulgação porta a porta nas residências dessa área. Iniciada na última sexta-feira (02), a entrega de informativos impressos está prevista para ser concluída até esta quarta-feira (07), conduzida pela Assessoria de Educação Ambiental da Sema.

Aproximadamente, 1.000 unidades do panfleto foram impressas e devem ser atendidas 850 residências, das quais cerca de 600 já foram contempladas com visitas feitas entre os períodos da manhã e da tarde. Cada imóvel visitado pela Sema está recebendo um informativo ressaltando as consequências e principais riscos gerados pela indevida alimentação de animais silvestres.

Dentre os aspectos abordados pelo material, estão o perigo de que esses animais ataquem pessoas ao se sentirem ameaçados, e o risco de lesões, intoxicação ou contração de doenças ao ingerirem comida consumida por humanos. Quando alimentados pelas pessoas, os animais acabam deixando de buscar seu próprio alimento na natureza e, dessa forma, podem se tornar dependentes e ir regularmente para a área urbana, correndo o risco de atropelamentos e ataques de animais domésticos.

Na área próxima ao Parque Arthur Thomas, quatis, macacos e gambás são os animais mais vistos saindo para as ruas e avenidas. Ao receber o panfleto, o público também é orientado a colocar o lixo na lixeira da calçada somente nos dias de coleta, a fim de evitar que os animais revirem lixeiras e sacos de lixo para comer restos de alimentos.

As equipes de Educação Ambiental da Sema já percorreram, até agora, centenas de residências, na área próxima ao Parque, perto da avenida Dez de Dezembro. O trabalho alcançou vias como a avenida Paris, e as ruas Marselha, Capri, Sicília, Braga, Porto, Roma, Barcelona, Pádua e diversas outras.

Para amanhã (7), a ação prevê entregas na rua Charles Lindemberg, e será analisada a necessidade de outras localidades dessa área. No momento da visita, os servidores da Sema chamam os moradores, se identificam e falam mais sobre o conteúdo do informativo.

De acordo com a assessora de Educação Ambiental da Sema, Lidiani Damiani, os moradores recebem as equipes muito bem, demonstram interesse no tema, e a maioria informa que nunca alimentou os animais silvestres e tem ciência dos possíveis danos que a ação pode causar.

“É uma ação produtiva e efetiva. Muitos deles ainda aproveitam para tirar dúvidas sobre outros assuntos, como gestão de resíduos e arborização urbana. Eles também nos passam sugestões, então acaba sendo um processo de troca”, contou.

Esse formato de ação, chamado de porta a porta, é levado a regiões estratégicas da cidade, como, nesse caso, o Parque Arthur Thomas, por ser uma região onde os animais silvestres acabam saindo deste local e circulando pelas ruas.

“Como ocorre com certa frequência de os visitantes do parque tentarem alimentar os animais, estamos sempre atentos e acompanhando esse quadro para orientar o que é proibido. A equipe da Gerência de Parques e Biodiversidade da Sema, pertencente à Diretoria de Áreas Verdes, monitora e complementa a alimentação dos animais silvestres do Parque com frutas e legumes. E a soma dessas ações colabora para que eles não busquem alimentos fora do parque”, frisou.

Quem tiver dúvidas sobre assuntos relacionados aos animais silvestres ou outras questões pode entrar em contato pelo telefone (43) 3372-4765, de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h.

Com informações do N.Com.