Lula defende taxação dos super-ricos e combate à fome na OIT
© Ricardo Stuckert / PR

O presidente Lula afirmou, nesta quinta-feira (13), que o bem-estar da população está ligado aos compromissos de preservação do meio ambiente e defendeu a relação entre capital e trabalho para minimizar as desigualdades sociais. Lula discursou na sessão de encerramento do fórum inaugural da Coalizão Global para a Justiça Social no âmbito da Conferência da Organização Internacional do Trabalho (OIT), em Genebra, na Suíça.

Ao listar diversos problemas que precisam ser enfrentados para melhorar a qualidade do trabalho no mundo, o brasileiro afirmou que “não há democracia com fome, nem desenvolvimento com pobreza, nem justiça na desigualdade”.

Para Lula, “a mão invisível do mercado só agrava desigualdades. O crescimento da produtividade não tem sido acompanhado pelo aumento dos salários, gerando insatisfação e muita polarização. Precisamos de uma nova globalização, uma globalização de face humana”, disse o presidente do Brasil, que ainda defendeu a taxação dos super-ricos e lembrou que a justiça social e a luta contra as desigualdades são prioridades da presidência do Brasil no G20. Com informações da Agência Brasil.